Auto estima e seu papel no aprendizado de um novo idioma

Capa | Aprender Idioma

 

Uma possível definição para INSTINTO GREGÁRIO é: “tendência que leva os homens ou os animais a se juntarem, perdendo, momentaneamente, suas características individuais.”

 

Sim, somos seres que, apesar de nossas deficiências pessoais, fomos feitos para viver em grupos; amigos, colegas de trabalho, de escola, família, etc.

 

Não quero entrar em questões de crenças espirituais, mas quem nos criou, provavelmente, não contava com o que muitos de nós nos tornaríamos. Nos tornamos seres que, apesar dessa característica gregária, tem uma dificuldade de convivência em grupo como consequência de um fator decisivo na produção de um grande desconforto pessoal: a comparação.

 

A comparação ao aprender um novo idioma

 

Aprender um novo idioma implica no estudo e observação não somente dos aspectos intrínsecos de uma língua. Diversas culturas com seus costumes específicos nos soam muitas vezes como um campo assustador. Nossa zona de conforto se abala e assusta com o novo, o diverso.

 

Ocorre que, a comparação é inevitável quando entramos em contato com outros seres humanos, o que já ocorre dentro de nosso próprio campo de observação mais conhecido: nosso próprio país.

 

Comparar

 

Imagine então a simples possibilidade de se aventurar por mares nunca antes navegados?

 

Sim, amigos, não só no campo do domínio de um outro idioma. Essa é uma lição que devemos aprender para nossas vidas em geral.

 

Projetos, metas pessoais e outros tem um resultado mil vezes mais potencializado quando nos valorizamos ao observar o resultado de nossas comparações.

 

O outro tem qualidades que se sobressaem, pode realizar tarefas e objetivos incríveis. Mas eu também posso fazer o mesmo, pois apesar de nossas diferenças, somos iguais no potencial que nos foi concedido por quem nos criou.

 

A comparação no ambiente escolar

 

Porém, já começamos cedo. No ambiente escolar, alunos não sossegam enquanto, ao receber suas provas corrigidas com as respectivas notas de avaliação, não derem uma olhada na nota tirada pelo colega da direita ou da esquerda. Se lembra que você também fazia isso?

 

Notas

 

Pois é, há aquele ditado “galinha do vizinho tem sempre o ovo…”. Você já sabe como esse ditado termina. Sabe como termina mas talvez não saiba, não tenha percebido, como anda seu nível de auto estima.

 

Assim como fazemos com nossos carros ou com nossos smartphones quando observamos o nível de combustível ou nível de energia ainda disponíveis, devemos estar atentos às nossas reservas de amor próprio e de consciência pessoal para que possamos ter um contato efetivo com povos de outras culturas. Se não, a comparação sendo inevitável, podemos acabar boicotando esse contato que pode ser muito rico para nossas vidas.

 

Um novo idioma abre portas, janelas, portões, todos os espaços físicos ou imaginários no mundo do trabalho e das transações sociais no nosso mundo ultra globalizado.

 

Já falamos em desenvolvimento pessoal em outro post (Guns N’ Roses e a motivação para continuar).

 

Exercício

 

Para finalizar, deixo aqui uma relação de tarefas para que você realize com o objetivo de ter resultado no aprendizado desse novo idioma. Vamos lá?

 

Ao se comparar com qualquer coisa ou pessoa:

 

– Observe as diferenças;

– Admire a beleza do outro;

– Respire fundo;

– Vá até o espelho mais próximo;

– Se observe;

– Agradeça por você existir e

– estabeleça o propósito

– de ser uma pessoa melhor.

………

– e agora

– te deixo um tchau

– até nosso próximo post

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *